segunda-feira, julho 06, 2009

NPD Maceió (AL): 1 ano de ações efetivas pelo audiovisual alagoano


O Núcleo de Produção Digital de Alagoas - Olhar Brasil concluiu as ações da 1ª etapa com a realização de um programa de formação elaborado com base nas principais dificuldades do setor audiovisual em Alagoas. Foram realizadas 14 oficinas nas diversas áreas de cinema, que atenderam mais de 200 alunos até janeiro de 2009, em Maceió, Boca da Mata e Arapiraca, totalizando cerca de 400 horas de formação e difusão audiovisual gratuita.

Pela ausência de um pólo de cinema no Estado, a prioridade foi criar uma base de conhecimentos técnicos e estéticos na área para, em seguida, investir em produção com mais qualidade e segurança. Ainda assim, foram realizados quatro filmes curtos nas oficinas de Animação e Processos de Produção.

O aumento do comprometimento dos participantes e da qualidade das respostas e idéias de filmes nos questionários de seleção demonstrou, a cada oficina, que estamos no caminho certo. Junto com outras poucas ações no Estado, o núcleo vem contribuindo incisivamente para o aumento da demanda por produzir e consumir audiovisual em Alagoas. Capacitações cada vez mais concorridas, mostras do Olhar Brasil que excedem a capacidade de lotação do cinema, além de realizações pós-oficinas de muitos participantes, motivados pelos conteúdos apreendidos durante os processos de formação.

As ações do NPD-AL têm movimentado bastante a cena audiovisual local, provocando o encontro e aproximação de pessoas que já produzem ou estão começando a produzir, o surgimento de parcerias entre os alunos e a formação de equipes no espaço extra-curso para a realização de filmes ou para exercer a apreciação crítica e coletiva de obras audiovisuais nos cineclubes.

A comunidade audiovisual tem demonstrado grande urgência na espera pela realização de um edital de produção após a conclusão do programa de cursos em um Estado onde não há leis de incentivo para a cultura. Recebemos cada vez mais e-mails com questões sobre o assunto e o mailing do núcleo com interessados nas atividades cresce a cada dia: hoje são mais de 900 cadastros voluntários para receber as notícias das ações do NPD. Temos recebido também muitos e-mails com propostas de parcerias para estender ainda mais nossas ações.

A oficina Laboratório de Roteiristas foi um grande teste dos resultados e ponto máximo do programa de formação da 1ª etapa. Através dela, pudemos observar o enorme crescimento de qualidade dos projetos de roteiro quando comparados com as primeiras oficinas. Tivemos grande dificuldade em selecionar os participantes, pois eram muitas as idéias bem estruturadas e com qualidade, tanto em ficção quanto em documentário e animação. Todas urgentes, esperando por uma chance de serem postas em prática. Ao final da oficina, tínhamos nas mãos, de fato, 20 participantes com 20 roteiros interessantíssimos a serem filmados. Muitos deles vêm cursando as atividades do núcleo desde a sua inauguração.

O núcleo continuará investindo em formação diversificada e de qualidade na área de cinema, através de cursos e mostras, e a partir desta 2ª etapa, a meta é a realizar editais de fomento à produção independente alagoana. O NPD-AL também tem se organizado para coordenar um circuito de exibição que que até então já possui 14 pontos de exibição cadastrados, entre cidades do interior e diversos bairros periféricos da capital, contribuindo assim para a democratização da cultura e formação de público para o cinema brasileiro.

Clique aqui para baixar o relatório completo da 1ª etapa, com o detalhamento de todas as atividades.

FOTOS :.


Lançamento do NPD-AL em 30 de maio de 2008,
no Museu da Imagem e do Som, com a presença do
secretário do Audiovisual, Sílvio Da-Rin.
[Foto: Nataska Conrado]

Hermano Figueiredo abre a primeira oficina do núcleo,
Câmeras e Mídias, com Ítalo Valério (RN). Após 4 meses
na coordenação do projeto em Alagoas, foi convidado
para coordenar nacionalmente o programa Olhar Brasil,
no Rio de Janeiro, deixando a coordenação local com Lis Paim.


Desenvolvimento de Roteiro (MCZ), com Léo Falcão (PE).
Abordagem teórica e análise de filmes embasaram as aulas.
Ao final da semana, Léo participou da Sessão Olhar Brasil-AL
Curta+Longa com seu filme Guia Prático, Histórico e Sentimental
da cidade do Recife, baseado na obra de Gilberto Freire.
[Foto: Larissa Lisboa]


Edição de Vídeo (MCZ), com Joana Rodrigues (PE).
Teoria de Montagem, muitos exercícios e um laboratório
com 30 computadores, um para cada aluno, tornaram
as práticas eficientes e dinâmicas. Joana também participou
da Sessão Olhar Brasil-AL Curta+Longa, com o seu filme
Ella no es para mi. Foi a 3ª oficina mais elogiada da 1ª etapa.
[Foto: Larissa Lisboa]


Operação de Câmera (Boca da Mata), com Bruno González (AL).
Movimentos de câmera, iluminação, enquadramento
e planificação foram alguns dos principais exercícios
realizados pelos jovens do Instituto Girassol, utilizando
a Sony Z1 do núcleo e a Panasonic do Instituto.
[Foto: IGDS]


Animação em stop-motion, com Marcos Buccini (PE).
Animação de massinha, construção de personagens
e cenários deram suporte para a realização das animações
curtinhas Idade da Pedra e O Caroço, primeiras produções
do núcleo. Ambas foram exibidas no Dia Internacional
da Animação em 2008, no Cine SESI.
[Foto: Nataska Conrado]



Leitura e Expressão Audiovisual (Arapiraca), com Hermano Figueiredo (AL).
Linguagem cinematográfica, leitura crítica de filmes e formação
cineclubista envolveram os jovens produtores de Arapiraca em
3 dias de aulas nos dois turnos.
[Foto: Candeeiro Aceso]


Edição de Vídeo (Boca da Mata), com Glauber Xavier (AL).
Durante 3 dias, com aulas nos dois turnos, os jovens tiveram
contato com ferramentas básicas de edição, realizaram diversos
exercícios e discutiram os materiais produzidos coletivamente.
A temática ambiental também foi discussão recorrente na oficina
pelo perfil do trabalho desenvolvido no Instituto Girassol.
[Foto: IGDS]


Direção de Fotografia, com Othon Castro (RJ).
Formação do olhar, enquadramento consciente, técnicas
de iluminação artificial e natural e práticas de rua
foram os principais combustíveis das aulas de Othon.
Foi a 2ª oficina mais elogiada da 1ª etapa.
[Foto: Nataska Conrado]


Animação (Arapiraca), com Lula Gonzaga (PE).
Lula construiu um laboratório de desenho no auditório
da ong Candeeiro Aceso. Materiais artesanais, mesas de luz,
desenhos à mão-livre, blocos de flipagem e zoétropos compuseram
o universo fascinante do veterano da animação brasileira.
[Foto: Candeeiro Aceso]



Cenografia e Direção de Arte (MCZ), Carlos Luizzi (RJ).
Elaboração de um projeto cenográfico em Art Déco, mobiliário,
iluminação, objetos de cena e pesquisas de locações pela cidade.
Durante uma semana os participantes também discutiram e analisaram
a direção de arte de filmes importantes da cinematografia mundial.
[Foto: Nataska Conrado]


Laboratório de Roteiristas (MCZ), com René Guerra (AL/SP).
Oficina elaborada especialmente por René Guerra e equipe
técnica do Olhar Brasil-AL para encerrar o programa de
formação da 1ª etapa. Durante 12 dias, os aspirantes a
roteiristas desenvolveram suas histórias coletivamente,
apoiados por uma dinâmica de grupo baseada nos workshps de roteiro
do Sundance Institute. Exercícios de berlinda, práticas no
centro da cidade e dinâmica com atores locais, que deram
corpo e voz às histórias, fizeram do Laboratório
a oficina mais elogiada da 1ª etapa.
[Foto: Nataska Conrado]


Processos de Produção (Arapiraca), com Pedro da Rocha (AL).
Pré-Produção, produção e pós-produção de filmes, da análise
técnica do roteiro à finalização e exibição. Semana de atividades
intensas e mais duas produções: os documentários
Cidade sem Tela e Casa de Farinha Encantada.
[Foto: Nataska Conrado]



*OBS: As oficinas Desenho de Som (MCZ), com Mário Alves (RJ) e Processos de Produção (MCZ), com Pedro da Rocha (AL), não possuem registro fotográfico, somente videográfico.

sexta-feira, janeiro 09, 2009

RESULTADO DA SELEÇÃO PARA O LABORATÓRIO DE ROTEIRISTAS, com RENÉ GUERRA


Prezados candidatos ao LABORATÓRIO DE ROTEIRISTAS oferecido pelo Olhar Brasil Alagoas:

Selecionar os participantes desse curso foi uma tarefa difícil, porém, muito estimulante. O nível das idéias e/ou projetos de roteiros, assim como das análises dos filmes foi bastante interessante. A maioria dos candidatos fez bom uso dos argumentos e forneceu material satisfatório para a análise da banca, respondendo as questões de forma detalhada.

Na tentativa de contemplar um maior número de projetos, o Olhar Brasil-AL e o instrutor René Guerra optaram por abrir mais 6 vagas para o Laboratório, formando assim uma turma com 26 participantes. Pela quantidade de atividades práticas do curso e responsabilidade na qualidade do atendimento, o Olhar Brasil não abre vagas para ouvintes, pois o número de participantes já representa a capacidade máxima de atendimento de cada oficina.

Parabéns às pessoas que sempre se inscrevem nas oficinas promovidas pelo núcleo e que, sendo selecionadas poucas vezes ou mesmo sem participação em alguma delas até então, continuam se dedicando aos processos de seleção. Esperamos poder contar sempre com as inscrições de todos. Temos a intenção de promover mais oportunidades para concretizar os desejos profissionais de cada um de vocês!

Na seleção dos candidatos para o LABORATÓRIO DE ROTEIRISTAS, foram considerados os seguintes critérios:

1. POSSUIR ALGUMA IDÉIA DE ROTEIRO.

2. Qualidade, clareza e adequação das respostas às perguntas do questionário, que deve ser respondido de acordo com as instruções de cada questão. Os candidatos devem atentar para a importância do preenchimento completo do questionário, pois responder as questões de forma evasiva ou deixá-las em branco provoca a desclassificação do candidato.

3. Possibilidade de o candidato ser um agente multiplicador do conhecimento adquirido no curso, através de sua atuação em instituições de ensino, ong's, projetos de formação, etc;

4. Para os candidatos que já foram aprovados em oficinas do Olhar Brasil Alagoas, os critérios abaixo tiveram caráter ELIMINATÓRIO:- Número excessivo de faltas SEM justificativa ou casos de candidatos aprovados que confirmaram a participação antes da oficina e não compareceram às aulas e nem justificaram em tempo hábil à produção do núcleo;- Falta de participação nas aulas, desinteresse ou não realização das tarefas solicitadas pelo instrutor por motivo não justificado à produção do núcleo;

5. Os critérios atuam em conjunto e servem para orientar a seleção na priorização de perfis na disputa pela vaga e em caso de necessidade de desempate.

Informamos ainda que o núcleo realizará oficinas em diversas áreas do audiovisual, em nível básico e avançado, e que a seleção sempre observará a adequação do perfil do candidato dentro do curso específico. Portanto, os que não foram selecionados, ainda terão muitas oportunidades em outras oficinas do Olhar Brasil-AL.

Olhar Brasil Alagoas parabeniza todos os participantes da seleção para o LABORATÓRIO DE ROTEIRISTAS!



LABORATÓRIO DE ROTEIRISTAS SERÁ REALIZADO A PARTIR DA PRÓXIMA SEMANA NO SESC-CENTRO,
DE 12/01 (SEGUNDA-FEIRA) A 24/01 (SÁBADO),
NOS SEGUINTES HORÁRIOS:
DE SEGUNDA À SEXTA: noite, das 19h às 22h.
AOS SÁBADOS: das 14h às 19h.



LISTA DOS SELECIONADOS PARA O LABORATÓRIO:

1. ALESSANDRA DE FÁTIMA ALVES MARQUES LUZ
2. ALESSANDRO FERREIRA DE MORAIS
3. ALEXANDRE SOUZA CAVALCANTE
4. ANDRÉ DA SILVA DANTAS
5. BEATRIZ NOGUEIRA SÁ
6. BRISA PAIM DUARTE
7. CAIO ROBERTO DE OLIVEIRA
8. DANIELA CASTELINE
9. IVO DOS SANTOS FARIAS
10. JANIRA ASSUMPÇÃO LOUREIRO
11. JOSÉ ALLAN NOGUEIRA CAVALCANTE
12. JULIANA DOS SANTOS
13. KARLA MOURA DA SILVA MELANIAS BARBOSA
14. KARLESSON LENNON DE CASTRO OLIVEIRA
15. LARISSE LOUISE PONTES GOMES
16. LUIZ FELIPE LEÃO MAIA BRANDÃO
17. MARCOS VINÍCIUS DE ROLEMBERG SOARES
18. MARIANA CAVALCANTI BELO
19. MAYRA COSTA PIRES
20. PABLO ALFREDO DE LUCA
21. PABLO DIAS DE MELO GOMES
22. PAULO HENRIQUE DEPTUESQUI
23. ROSANA ROCHA
24. TAINAN COSTA WANDERLEY DE CARVALHO
25. TIAGO DE HOLANDA PADILHA VIEIRA
26. WILKER RAFAEL LINS BARBOSA

segunda-feira, janeiro 05, 2009

OLHAR BRASIL-AL abre inscrições para LABORATÓRIO DE ROTEIRISTAS

Maceió/Alagoas
05 de janeiro, 2009

Estão abertas as inscrições para o LABORATÓRIO DE ROTEIRISTAS, com René Guerra (AL/SP) até o meio-dia de 09 de janeiro, sexta. A atividade acontecerá entre os dias 12 (segunda-feira) e 24 (sábado) de janeiro, no SESC-Centro, nos seguintes horários: de segunda a sexta, das 19h às 22h e, aos sábados, das 14h às 19h.

Laboratório é uma oficina de criação onde o roteirista desenvolve suas idéias coletivamente, apoiado por um oficineiro e por uma dinâmica de grupo baseada nos workshops de roteiro do Sundance Institute (Instituto de Apoio ao Cinema Independente Americano). Através de poucas palavras, construção de personagens, exposição, improvisos e ação, os participantes irão formatar suas histórias e praticar cinema sem receio de expor e transpor as dificuldades do processo.

René Guerra é alagoano radicado em São Paulo, formado em cinema pela FAAP. É diretor e roteirista de cinema, televisão e teatro, além de arte-educador. Escreveu Mundo Pequeno (15', 16 mm), ainda em produção, e Os Sapatos de Aristeu (15', 35 mm): um dos curtas metragens brasileiros mais premiados em 2008. Com Os Sapatos de Aristeu ganhou o primeiro concurso de roteiros da FAAP e foi selecionado para participar das oficinas do Festival de Berlin (Berlinale Talent Campus 2006). Em TV, foi roteirista da série Tudo o que é sólido pode derreter (TV Cultura, 2009). Possui experiências internacionais como Stage Manenger, produtor e diretor no teatro La Mama, em Nova York, além de ter ministrado os cursos O Argumento na Poética do Curta-Metragem (2007) e A Construção do Olhar Cinematográfico (2008), ambas no SESC–AL.

Serão ofertadas 20 vagas e caso haja um número maior de inscritos, o critério de seleção será a avaliação, pelo oficineiro e equipe técnica do Olhar Brasil-AL, de um questionário a ser respondido por todos os interessados e enviado como anexo para o e-mail olharbrasil.al@gmail.com. O questionário pode ser baixado pela internet no endereço http://www.olharbrasilalagoas.blogspot.com/.

Destacamos que é importante a sinceridade quanto à disponibilidade para participar integralmente do LABORATÓRIO DE ROTEIRISTAS. Os cursos oferecidos pelo Olhar Brasil-AL têm sido muito procurados, portanto, ser selecionado e NÃO comparecer ou freqüentá-los parcialmente é excluir candidatos com maior disponibilidade para o processo.

Na seleção dos candidatos, serão considerados critérios como:


1. POSSUIR ALGUMA IDÉIA PARA ROTEIRO (este critério é primordial para participação no LABORATÓRIO, pois é o ponto de partida do processo);

2. Qualidade, clareza e adequação das respostas às perguntas do questionário, que deve ser respondido de acordo com as instruções de cada questão. Os candidatos devem atentar para a importância do preenchimento completo do questionário, pois responder as questões de forma evasiva ou deixá-las em branco provoca a desclassificação do candidato.

3. Possibilidade de o candidato ser um agente multiplicador do conhecimento adquirido no curso, através de sua atuação em instituições de ensino, ong’s, projetos de formação, etc;

4. Para os candidatos que já foram aprovados em oficinas do Olhar Brasil Alagoas, os critérios abaixo terão caráter ELIMINATÓRIO:
- Número excessivo de faltas SEM justificativa ou casos de candidatos aprovados que confirmaram a participação antes da oficina e não compareceram às aulas e nem justificaram em tempo hábil à produção do núcleo;
- Falta de participação nas aulas, desinteresse ou não realização das tarefas solicitadas pelo instrutor por motivo não justificado à produção do núcleo;

5. Os critérios atuam em conjunto e servem para orientar a seleção na priorização de perfis na disputa pela vaga e em caso de necessidade de desempate.

A oficina é gratuita e voltada para aqueles que têm pretensões de atuar profissionalmente na área e/ou para profissionais já atuantes que buscam completar sua formação teórica e prática. O objetivo principal do Olhar Brasil Alagoas é democratizar o acesso aos meios e as técnicas de produção cinematográfica e desenvolver atividade audiovisual local, de acordo com as diretrizes do programa nacional do Ministério da Cultura (MinC).

Só serão aceitos na seleção candidatos que enviarem o questionário por e-mail até o meio-dia de 09 de janeiro, sexta-feira.


O LABORATÓRIO DE ROTEIRISTAS é uma realização do Olhar Brasil Alagoas (Secult-AL / MinC), com apoio do SESC-AL.

LABORATÓRIO DE ROTEIRISTAS, com René Guerra (AL/SP)
Data: 12 a 24 de janeiro/2009
Horário: De segunda a sexta: 19h às 22h / Aos sábados: 14h às 19h
Local: SESC-Centro
Prazo final de inscrição para seleção: até o meio-dia de 09 de janeiro (sexta-feira).

sexta-feira, dezembro 12, 2008

RESULTADO DA SELEÇÃO PARA O CURSO DE CENOGRAFIA E DIREÇÃO DE ARTE PARA CINEMA, com CARLOS LIUZZI (RJ)

Maceió-AL
12 de dezembro de 2008

Prezados candidatos ao curso de CENOGRAFIA E DIREÇÃO DE ARTE PARA CINEMA oferecida pelo CANNE e Olhar Brasil Alagoas:

Selecionar quem seriam os participantes desse curso foi uma tarefa difícil, porém, muito estimulante. A turma formada para o curso de CENOGRAFIA E DIREÇÃO DE ARTE PARA CINEMA, com Carlos Liuzzi (RJ) possui uma característica bem interessante e que enriquece o processo do curso: pessoas que não possuem nenhuma experiência em cenografia e/ou direção de arte (mas têm pretensão em atuar profissionalmente na área) e pessoas que já realizam esse tipo de atividade em teatro, TV e até mesmo cinema (e que buscam aperfeiçoamento). Ambas as situações, cada uma com suas especificidades, aglomeraram questionários cheios de bons argumentos para seleção.

Infelizmente, o número de vagas é limitado a 20 (vinte) por definição do próprio instrutor com o objetivo de garantir um melhor aproveitamento do conteúdo trabalhado pela quantidade de atividades práticas da capacitação.

Parabéns às pessoas que sempre se inscrevem nas oficinas promovidas pelo Olhar Brasil-AL e que, sendo selecionadas poucas vezes ou mesmo sem participação em alguma delas, continuam se dedicando aos processos de seleção. Aguardamos sempre suas inscrições e temos a intenção de promover mais oportunidades para concretizar os desejos profissionais de cada um de vocês.

No questionário, a pergunta número 3 (três) é a que possui maior peso durante a seleção. Observamos que muitas respostas não focaram na forma em que o conteúdo específico do curso de Cenografia e Direção de Arte poderia ser útil na formação e/ou prática profissional, e se detiveram apenas a sua importância curricular.

Na seleção dos candidatos para CENOGRAFIA E DIREÇÃO DE ARTE PARA CINEMA, foram considerados os seguintes critérios:
  1. Qualidade, clareza e adequação das respostas às perguntas do questionário, que deve ser respondido de acordo com as instruções de cada questão e de maneira mais completa possível. Os candidatos devem atentar para a importância do resumo do currículo na questão número 2 e para a necessidade de apresentar a defesa e importância do curso em questão na sua formação e/ou prática profissional na questão número 3, sempre de forma detalhada, coerente e focada no objetivo do curso, respeitando o número mínimo de linhas;

  2. Possuir noções de desenho a mão livre;

  3. Possibilidade de o candidato ser um agente multiplicador do conhecimento adquirido no curso, através de sua atuação em instituições de ensino, Ong’s, projetos de formação, etc;

  4. Possuir projeto audiovisual em curso ou em fase de maturação da idéias;

  5. Para os candidatos com perfil amador, possuir pretensões de atuar de maneira profissional no mercado audiovisual;

  6. Para os candidatos que já foram aprovados em oficinas do Olhar Brasil Alagoas, os critérios abaixo terão caráter ELIMINATÓRIO na seleção:

    - Número excessivo de faltas SEM justificativa ou casos de candidatos aprovados que confirmaram a participação antes do curso e não compareceram às aulas e nem justificaram em tempo hábil à produção do núcleo;
    - Falta de participação nas aulas, desinteresse ou não realização das tarefas solicitadas pelo instrutor por motivo não justificado à produção do núcleo;

  7. A ausência de um ou mais dos critérios acima no perfil do candidato NÃO possuíram caráter eliminatório, pois atuaram em conjunto e serviram para orientar a seleção na priorização de perfis na disputa pela vaga e em caso de necessidade de desempate.

Informamos ainda que o núcleo realizará oficinas em diversas áreas do audiovisual, em nível básico e avançado, e que a seleção sempre observará a adequação do perfil do candidato dentro do curso específico. Portanto, os que não foram selecionados, ainda terão muitas oportunidades em outras oficinas do Olhar Brasil-AL.

O Olhar Brasil-AL tem todo o interesse em atender o maior número de pessoas e faz o possível para isso, mas infelizmente o núcleo não pode abrir vagas para ouvintes, pois o número de selecionados já representa a nossa quantidade máxima de atendimento por oficina. Porém, em todas as seleções, o Olhar Brasil possui uma lista de espera e caso algum selecionado não confirme a sua participação por e-mail ou não compareça ao primeiro dia de aula para assegurar a vaga, o núcleo automaticamente recorre à lista para a inclusão de novos participantes.

CANNE e Olhar Brasil Alagoas parabenizam todos os participantes da seleção para o curso de CENOGRAFIA E DIREÇÃO DE ARTE PARA CINEMA!

O CURSO DE CENOGRAFIA E DIREÇÃO DE ARTE PARA CINEMA SERÁ REALIZADO NA PRÓXIMA SEMANA, DE 15/12 (SEGUNDA-FEIRA) A 20/12 (SÁBADO), DAS 14 ÀS 18 HORAS, NO BLOCO DE ARQUITETURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS.

LISTA DOS SELECIONADOS PARA O CURSO:

1. Alexandre Lima de M. Oliveira
2. Alice Mesquita Jardim
3. Amanda dos Santos Nascimento
4. Anny Rose de Oliveira Sotero
5. Charles Herman Northrup
6. Eduardo Carvalho da Silva Ramos
7. Flávia Campos Cerullo
8. Flora Paim Duarte
9. Herbert Loureiro Calheiros Morais
10. Isadora Padilha de Holanda Cavalcanti
11. Izael Gomes da Silva
12. José Achiles Escobar
13. José Alan Ferreira de Lima
14. Leônidas Silva Calheiros
15. Levy José de Souza Paz
16. Lucas Queiroz da Silva
17. Marcos Jerônimo da Silva
18. Pablo Cavalcante de Albuquerque Fernandes
19. Rosana Rocha
20. Weber Salles Bagetti

CARLOS LIUZZI SOLICITA AOS CANDIDATOS SELECIONADOS QUE PESQUISEM ANTECIPADAMENTE SOBRE ARTE DÉCO NO BRASIL ENTRE OS ANOS 1930 E 1935.

TODOS OS SELECIONADOS DEVEM RESPONDER ESTE E-MAIL CONFIRMANDO SUA PARTICIPAÇÃO NO CURSO E TAMBÉM COMPARACER AO PRIMEIRO DIA DE AULA PARA ASSEGURAR A VAGA. SÓ CANDIDATOS SEM FALTAS OU COM ATÉ UMA (1) FALTA JUSTIFICADA DURANTE TODO CURSO RECEBERÃO O CERTIFICADO OLHAR BRASIL-AL.

O CURSO DE CENOGRAFIA E DIREÇÃO DE ARTE PARA CINEMA É UMA REALIZAÇÃO CONJUNTA DO CANNE E DO OLHAR BRASIL-AL.

quinta-feira, novembro 27, 2008

CANNE e OLHAR BRASIL-AL abrem inscrições para curso de CENOGRAFIA E DIREÇÃO DE ARTE PARA CINEMA

Maceió/Alagoas
27 de novembro, 2008


Estão abertas as inscrições para o curso de CENOGRAFIA E DIREÇÃO DE ARTE PARA CINEMA até as 20h do dia 07 de dezembro, domingo. O curso, ministrado por Carlos Arthur Liuzzi (RJ), será realizado entre os dias 15 (segunda-feira) e 20 (sábado) de dezembro, das 14h às 18h, na Universidade Federal de Alagoas / Bloco de Arquitetura. O curso é uma realização do Centro Audiovisual Norte-Nordeste (CANNE) e do Olhar Brasil Alagoas.

A criação, o planejamento e a organização das visualidades dos filmes: estas são as diretrizes do profissional que pensa arte em cinema. A escolha de locações junto ao diretor, figurino, cenário, objetos de cena e fontes de luz são algumas das pautas da direção de arte, que tenta unir a intenção das narrativas à forma de construção dos filmes.

Durante o curso, Carlos Liuzzi pretende trabalhar a formação da imagem moderna na relação arte-fotografia-cinema, a reflexão sobre os pontos de aproximação e afastamento entre cinema, realidade, teatro, arquitetura e cenografia, este também lugar de dramaticidade. Pensar um projeto cenográfico, desde o mobiliário, a iluminação e os objetos de cena e como formar uma equipe de cenografia são as aproximações práticas do curso.

Carlos Liuzzi é diretor de arte, cenógrafo, fotógrafo, arquiteto e diretor de cena, com extensa e intensa formação e experiência na área, inclusive no exterior. No cinema, Liuzzi fez a cenografia e direção de arte de filmes como Inocência e Chico Rei, de Walter Lima Jr.; Tensão no Rio, de Gustavo Dahl; Avaeté, de Zelito Viana; Sonho de Valsa, de Ana Carolina, e Matou a família e foi ao cinema, de Neville d'Almeida. No teatro e na televisão, destacam-se, respectivamente, as cenografias e direções de arte de O Analista de Bagé, de Paulo César Pereio, e do seriado Mulher, de Daniel Filho (Rede Globo). Atualmente, Carlos Liuzzi é professor de Direção de Arte na Faculdade de Cinema Gama Filho e na Escola de Cinema Darcy Ribeiro.

Serão ofertadas 20 vagas, das quais no mínimo 5 serão preenchidas por alunos do curso de arquitetura da UFAL. Caso haja um número maior de inscritos, o critério de seleção será a avaliação, pela comissão gestora e pela equipe técnica do Olhar Brasil-AL, de um questionário a ser respondido por todos os interessados e enviado como anexo para o e-mail olharbrasil.al@gmail.com. O questionário pode ser baixado pela internet no endereço www.olharbrasilalagoas.blogspot.com.

Clique aqui para baixar
o questionário


Na seleção dos candidatos, serão considerados critérios como:
  1. Possuir noções de desenho à mão livre (este critério não é excludente e será ponderado de acordo com o perfil dos inscritos);
  2. Qualidade, clareza e adequação das respostas às perguntas do questionário, que deve ser respondido de acordo com as instruções de cada questão e de maneira mais completa possível. Os candidatos devem atentar para a importância do resumo do currículo na questão número 2 e para a necessidade de apresentar a defesa e importância do curso em questão na sua formação e/ou prática profissional na questão número 3, sempre de forma detalhada, coerente e focada no objetivo do curso, respeitando o número mínimo de linhas;
  3. Possibilidade de o candidato ser um agente multiplicador do conhecimento adquirido no curso, através de sua atuação em instituições de ensino, Ong's, projetos de formação, etc;
  4. Possuir projeto audiovisual em curso ou em fase de maturação da idéias;
  5. Para os candidatos com perfil amador, possuir pretensões de atuar de maneira profissional no mercado audiovisual;
  6. Para os candidatos que já foram aprovados em oficinas do Olhar Brasil Alagoas, os critérios abaixo terão caráter ELIMINATÓRIO na seleção:
    - Número excessivo de faltas SEM justificativa ou casos de candidatos aprovados que confirmaram a participação antes da oficina e não compareceram às aulas e nem justificaram em tempo hábil à produção do núcleo;
    - Falta de participação nas aulas, desinteresse ou não realização das tarefas solicitadas pelo instrutor por motivo não justificado à produção do núcleo;
  7. A ausência de um ou mais dos critérios acima no perfil do candidato NÃO possui caráter eliminatório, pois os critérios atuam em conjunto e servem para orientar a seleção na priorização de perfis na disputa pela vaga e em caso de necessidade de desempate.

O curso de CENOGRAFIA E DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA PARA CINEMA é gratuito e voltado para aqueles que têm pretensões de atuar profissionalmente na área e/ou para profissionais já atuantes que buscam completar sua formação teórica e prática. O objetivo principal do Olhar Brasil Alagoas é democratizar o acesso aos meios e as técnicas de produção audiovisual e formar mão-de-obra técnica para o audiovisual local, de acordo com as diretrizes do programa nacional do Ministério da Cultura (MinC).

Só serão aceitos na seleção candidatos que enviarem o questionário por e-mail até as 20h do dia 07 de dezembro, domingo. Os candidatos que já participaram de oficinas do núcleo podem repetir as respostas do questionário anterior ou aprimorá-las, caso julguem necessário, porém, devem atentar para as modificações nas questões e para a necessidade de uma nova resposta para a pergunta número 3.

O curso de CENOGRAFIA E DIREÇÃO DE ARTE PARA CINEMA é uma realização conjunta do Olhar Brasil Alagoas e do Centro Audiovisual Norte-Nordeste (CANNE).


CURSO DE CENOGRAFIA E DIREÇÃO DE ARTE PARA CINEMA,
com Carlos Arthur Liuzzi (RJ)

Data: 15 (segunda-feira) a 20 (sábado) de dezembro/08
Horário: 14h as 18h
Local: Universidade Federal de Alagoas / Bloco de Arquitetura
Prazo final de inscrição para seleção: até as 20h do dia 07 de dezembro (domingo).


Centro Audiovisual Norte-Nordeste (CANNE)

Contribuindo para a formação de profissionais na região, o Centro Audiovisual Norte-Nordeste realiza diversos cursos gratuitos de capacitação e aperfeiçoamento da atividade cinematográfica. Também objetiva conceder apoio técnico para a co-produção de obras audiovisuais independentes e inéditas de curtas e longas-metragens, através da cessão dos equipamentos audiovisuais de filmagem e edição, mediante inscrição de projeto educativo/cultural através do preenchimento de formulários disponíveis na página www.fundaj.gov.br. O CANNE é uma realização da FUNDAJ, do CTAv-NE, do Ministério da Cultura, do Ministério da Educação e do Governo Federal.

Olhar Brasil Alagoas

O Olhar Brasil Alagoas é uma iniciativa de apoio e fomento à atividade audiovisual local, através de ações de formação, qualificação técnica, difusão e acesso público a serviços de captação e edição de imagem e som em plataforma de alta definição. O projeto é uma realização do Ministério da Cultura (MinC) e da Secretaria de Estado da Cultura (Secult-AL) e agrega instituições parceiras que também compõem o conselho gestor, como ABD-AL, SESC, SESI, IZP, UFAL e FITS, além do apoio do restaurante BODEGA DO SERTÃO.

quarta-feira, novembro 26, 2008

Sessão Olhar Brasil: filmes de 1 minuto, os melhores do ano!

OLHAR BRASIL-AL e CINE SESI apresentam:

MELHORES VÍDEOS DO MINUTO 2008
mostras Acabou a gasolina e Cidades

quando :.

DIA 05 DE DEZEMBRO DE 2008, SEXTA-FEIRA,
ÀS 20h


onde :.
CINE SESI PAJUÇARA

ENTRADA GRATUITA!

:. O Minuto Brasil foi o primeiro Festival do Minuto do mundo. Criado em 1991 pelo cineasta Marcelo Masagão, inspirou a criação de festivais semelhantes em mais de 50 países. Este ano as Mostras Minuto Cidades e Acabou a Gasolina serão exibidas em 252 equipamentos de 115 cidades e 23 estados brasileiros entre os dias 02 e 07 de dezembro.

Não perca a oportunidade de conferir os 60 melhores vídeos de realizadores de vários estados brasileiros!

Uma parceria do Festival do Minuto com o núcleo Olhar Brasil-AL com o apoio do Cine SESI Pajuçara.

Alagoas teve pela 1ª vez o Dia Internacional da Animação

A noite da terça-feira, 28 de outubro, foi bastante especial para o estado de Alagoas. Pela 1ª vez a capital Maceió e a cidade de Arapiraca comemoraram o Dia Internacional da Animação (DIA), integrando as 150 cidades que realizaram a mostra em todo país. O DIA teve a coordenação local do núcleo Olhar Brasil Alagoas (Secretaria de Estado da Cultura e MinC) e contou com o apoio do Cine SESI Pajuçara e da Ong Candeeiro Aceso.

Em Maceió, a mostra estava marcada para as 19 horas no cinema de bairro do SESI (ambiente próprio dos cinéfilos da cidade), porém, faltando dez minutos para seu início, somente poucas pessoas aguardavam no hall de entrada. Senhas foram organizadas para o sorteio de camisetas do núcleo e a sala de projeção preparada com câmeras de vídeo e fotográfica para o registro do evento.

Às dezenove horas as portas do cinema foram abertas e a fila de gente subindo as escadas não cessou até que todas as 160 cadeiras da sala estivessem ocupadas. Para os atrasados, o chão foi a única opção, sendo ocupado com pessoas sentadas, deitadas ou de pé ao canto da tela.

O público começa a lotar o cinema. Muitos chegaram
após os primeiros minutos da mostra.
[foto: nataska conrado]

A mostra encheu o pequeno cinema do SESI de gente e curiosidade pelo que se tem feito no cinema de animação fora do circuito comercial, principalmente no Brasil. “A mostra do DIA proporcionou um divertidíssimo entretenimento para sua audiência e serviu também de inspiração e motivação para colocar os criativos adormecidos em ação. Foi uma grande oportunidade de ver o que está sendo produzido em animação no Brasil e no mundo” (Beatriz Nogueira, publicitária).

Cine SESI em Maceió: sala lotada e público sentado pelo chão
[foto: nataska conrado]

Durante a mostra, foram exibidas também duas animações locais, produzidas no mês de agosto na oficina de animação do Olhar Brasil-AL. Apesar de serem experimentações de iniciantes e com poucos segundos de duração, Idade da Pedra e O caroço foram assistidas com orgulho pelos alunos realizadores que estavam presentes na mostra e que viram pela 1ª vez seus trabalhos em uma tela de cinema.

“Uma sala de cinema lotada, em um dia de semana, celebrando a animação como uma forma possível de expressão levanta algo bastante relevante: em nosso estado há gente interessada em consumir, aprender e produzir animação. A exibição de animações de outros estados, assim como alguns segundos de animações realizadas em Alagoas nos encoraja ainda mais, pois nos sentimos menos isolados, ou talvez mais inseridos em um contexto amplo de compartilhamento cinematográfico” (Allan Cavalcante, jornalista e um dos realizadores de Idade da Pedra).

O público permaneceu até o final da exibição e muitos elogios foram feitos à composição geral da programação. Porém, filmes como X-coração, Rua das Tulipas, Seu Lobo, Baloons, Tyger, Monkey Joy e O trambolho foram bastante comemorados. “A iniciativa é maravilhosa e contribui para desenvolver o olhar dos realizadores e apreciadores do cinema de animação em Alagoas”, concluiu Sandro Egues ao final da exibição.

Da mostra internacional, a animação polonesa Matopos, apesar de ser a mais longa da mostra com seus 12 minutos, prendeu a atenção do público até o final e rendeu muitos comentários.

Público fiel e atento mesmo após 2h de exibição
[foto: nataska conrado]

Na cidade de Arapiraca, a sala de projeção da ONG Candeeiro Aceso foi o cenário perfeito para a mostra, que com suas paredes pretas, lembra os brinquedos ópticos utilizados na pré-história do cinema. Pela primeira vez Arapiraca assistiu a uma mostra exclusiva de animação, fato que representou mais um incentivo à produção dos iniciantes na área e à discussão de obras audiovisuais.

Mesmo sem contar com uma divulgação massiva nos meios de comunicação, o famoso boca a boca e spam nas caixas de e-mail trouxe um público razoável para uma noite de terça em cidade do interior. A sala escura não teve os seus 60 lugares lotados, porém, a exibição transcorreu com muita alegria e encantamento daqueles que vieram cheios de vontade e curiosidade para o evento. Muitos se surpreenderam com os enredos e se espantaram com a qualidade do desenho de som dos filmes e a grande variedade de técnicas de animação utilizadas. Rua das Tulipas, Tyger e Baloons levaram os espectadores ao debate ao final da mostra, com ênfase para as cores, movimentos e sons.

“Nossas mentes e corações se abriram para as várias linguagens da animação. Esse movimento deve prosseguir com cada vez mais espectadores e divulgação para que o gosto e o conhecimento pela animação e pelo DIA possam ser fortalecidos entre nossa comunidade, ainda carente de trabalhos como estes” (Marcelo Amorim, representante do cineclube Candeeiro Aceso e apoiador da mostra em Arapiraca).

terça-feira, outubro 21, 2008

Olhar Brasil-AL realiza Dia Internacional da Animação em Maceió e Arapiraca

O Dia Internacional da Animação (DIA) é uma mostra de curtas-metragens de animação nacionais e internacionais, realizada sempre no dia 28 de outubro desde 2004, com uma programação padrão e simultânea em todo país de uma hora de curtas-metragens brasileiros e uma hora de curtas-metragens estrangeiros. Em Alagoas, o evento acontecerá pela 1a. vez e terá a coordenação local do núcleo Olhar Brasil-AL (Secretaria de Estado da Cultura e MinC), a partir das 19h do dia 28/10 (terça-feira), no Cine SESI Pajuçara em Maceió e na Ong Candeeiro Aceso na cidade de Arapiraca. A entrada é gratuita.

Foi no dia 28 de outubro de 1892 que Emile Reynaud realizou a primeira projeção do seu teatro óptico no Museu Grevin, em Paris. Essa projeção foi a primeira exibição pública de imagens animadas (desenhos animados) do mundo. No mundo, a Associação Internacional do Filme de Animação (ASIFA) que lançou o “Dia Internacional da Animação” realiza atualmente o evento em mais de 51 países.

No Brasil o evento é organizado pela Associação Brasileira do Cinema de Animação (ABCA). Em 2008, 53 curtas-metragens brasileiros se inscreveram para participar da Mostra Nacional do DIA, para qual treze (13) foram selecionados para serem exibidos no dia 28 em todos os estados brasileiros. Nesta edição do evento já estão confirmadas mais de 150 cidades que exibirão a programação oficial. O DIA não tem fins lucrativos (confira a programação de curtas nacionais e internacionais no final do texto).

A organização nacional do evento contará novamente com o apoio do CTAV – Centro Técnico do Audiovisual da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, Conselho Nacional de Cineclube, Federação Paulista de Cineclubes e com a parceria da ASIFA – Associação Internacional do Filme de Animação para que a mostra brasileira também esteja presente na comemoração de diversos países no mundo. No estado de São Paulo o evento é financiado pelo Programa de Ação Cultural – PAC São Paulo e no restante do Brasil pelo Fundo Nacional de Cultura da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura. Na divulgação, o DIA recebe o apoio da Globo Filmes, TV Futura, TV Cultura, Canal Rá Tim Bum, Nicklodeon e TV Brasil.

O Cinema de Animação é uma forma de arte reverenciada no mundo todo. Esta celebração é uma oportunidade excepcional para colocá-lo no centro das atenções, já que sua difusão e acessibilidade ainda são restritas. O DIA busca a difusão e democratização do trabalho dos animadores proporcionando aos seus espectadores o contato com essa arte cinematográfica. Geograficamente, é o evento simultâneo mais amplo do gênero realizado no Brasil, contando com o apoio e a participação da população, imprensa e profissionais da área.
MACEIÓ/AL
28 de outubro de 2008, 19h, no Cine Sesi
Pajuçara

coordenação local: Olhar Brasil Alagoas
apoio: Cine Sesi

ARAPIRACA/AL
28 de outubro
de 2008, 19h, na Ong Candeeiro Aceso
coordenação local: Olhar Brasil
Alagoas
apoio: Candeeiro Aceso
:. PROGRAMAÇÃO NAS 2 CIDADES

Curtas nacionais:







X Coração
Dir. Lisandro Santos
2D Digital 11min30seg 2007 Porto Alegre







Atirei o pau no Gato
Dir. Sergio Glenes
2D 3min33seg 2007 Rio de Janeiro – RJ






Rua das Tulipas
Dir. Alê Camargo
3D 15min08seg 2007 Brasília – DF







Balanço
Dir. Jackson Farias Teixeira
2D / Rotoscopia 1min49seg 2006 Belo Horizonte – MG







Baloons
Dir. Jonas Brandão
2D 1min22seg 2007 São Paulo - SP







Primogênito Complexo
Dir. Tomás Creus e Lavinia Chianelo
Stop Motion 11min30seg 2007 Porto Alegre - RS







Breathe (Respiro)
Dir. Adriana Meirelles
Stop Motion / Recorte Digital 3min40seg 2008 São Paulo - SP








Seu Lobo
Dir. Humberto Avelar
2D 2min53seg 2007 Rio de Janeiro - RJ





Monkey Joy
Dir. Amir Admoni
3D e 2D sobre vídeos reais 8min15seg 2008 São Paulo - SP








O Trambolho
Dir. André Rodrigues
2D 1min48seg 2008 Recife - PE







Tyger
Dir. Guilherme Marcondes
Digital e Bonecos 4min30s 2006 – São Paulo - SP







Somos Passageiros...
Dir. Jefferson AV
Pintura sobre película 16mm 1min10s 2006 Belo Horizonte - MG






One
Dir. Diego Stoliar
Flash e After Effects 1min 2007 Rio de Janeiro - RJ




Curtas internacionais:


PORTUGUESES:.



O turno da noite Night Shift
6’, animation series, 2006.

Director: Carlos Fernandes





Sem dúvida amanhã Tomorrow… without doubt
Animation 2D, 2006, 7’.

Director: Pedro Brito


POLONESES:.



Jeden (ONE)
3D/ 2006/ 4’00”
Director: Mateusz Jarmulski





Matopos
Director: Stephanie Machuret
3D/ 2006 / 12”00”




SUL-COREANOS:.




Sugar, Cream and Spittle
2D, 2006 06” 40’







Hug
3D Animation, 2007 04” 20’

Directed by : Lee, Sang-Hui


AMERICANOS:.




One Bite
Director: Claire Almon
1min





Within Reach
Director: Wes Parham
2min


RUSSOS:.






I Will Make A Sign For You
Director: Alexander Tatarsky, Andrey
7 min Pilot, 1996







Lift 1
Director: Ya. Freijas, Yevgeny Delussin,
10 min, 21 sec 1989






Para mais informações, visite: http://www.diadanimacao.com.br/

sexta-feira, setembro 19, 2008

Resultado da seleção para a oficina de DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA, com Othon Castro (RJ)

Maceió, Alagoas
19 de setembro, 2008


Prezados candidatos à oficina de DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA oferecida pelo Olhar Brasil Alagoas:

A procura pelo curso de DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA com Othon Castro (RJ) foi grande e diversificada. Inscreveram-se desde iniciantes a pessoas que já trabalham na área. Essa situação nos motiva ainda mais na realização de oficinas que formem e aprimorem profissionais, potencializando o desenvolvimento da produção audiovisual alagoana. Infelizmente o número de vagas é limitado a 20 (vinte) por definição do próprio instrutor com o objetivo de garantir um melhor aproveitamento do conteúdo trabalhado pela quantidade de atividades práticas da capacitação.

Na seleção dos candidatos para DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA, foram considerados os seguintes critérios:

  1. Qualidade, clareza e adequação das respostas às perguntas do questionário, que deve ser respondido de acordo com as instruções de cada questão e de maneira mais completa possível. Os candidatos devem atentar para a importância do resumo do currículo na questão número 2 e para a necessidade de apresentar a defesa e importância da oficina em questão na sua formação e/ou prática profissional na questão número 3, sempre de forma detalhada, coerente e focada no objetivo da oficina, respeitando o número mínimo de linhas;

  2. Experiências anteriores com fotografia e operação de câmera, principalmente, voltadas para cinema e vídeo.

  3. Possibilidade de o candidato ser um agente multiplicador do conhecimento adquirido na oficina, através de sua atuação em instituições de ensino, Ong’s, projetos de formação, etc;

  4. Possuir projeto audiovisual em curso ou em fase de maturação da idéias;

  5. Para os candidatos com perfil amador, possuir pretensões de atuar de maneira profissional no mercado audiovisual;

  6. Para os candidatos que já foram aprovados em oficinas do Olhar Brasil Alagoas, os critérios abaixo terão caráter ELIMINATÓRIO na seleção:

    - Número excessivo de faltas SEM justificativa ou casos de candidatos aprovados que confirmaram a participação antes da oficina e não compareceram às aulas e nem justificaram em tempo hábil à produção do núcleo;

    - Falta de participação nas aulas, desinteresse ou não realização das tarefas solicitadas pelo instrutor por motivo não justificado à produção do núcleo;

  7. A ausência de um ou mais dos critérios acima no perfil do candidato NÃO possuíram caráter eliminatório, pois atuaram em conjunto e serviram para orientar a seleção na priorização de perfis na disputa pela vaga e em caso de necessidade de desempate.

Vale destacar que o curso é de direção de fotografia em cinema e vídeo. Informamos ainda que o núcleo realizará oficinas em diversas áreas do audiovisual, em nível básico e avançado, e que a seleção sempre observará a adequação do perfil do candidato dentro do curso específico. Portanto, os que não foram selecionados, ainda terão muitas oportunidades em outras oficinas do Olhar Brasil-AL.

O Olhar Brasil-AL tem todo o interesse em atender o maior número de pessoas e faz o possível para isso, mas infelizmente o núcleo não pode abrir vagas para ouvintes, pois o número de selecionados já representa a nossa quantidade máxima de atendimento por oficina. Porém, em todas as seleções, o Olhar Brasil possui uma lista de espera e caso algum selecionado não confirme a sua participação por e-mail ou não compareça ao primeiro dia de aula para assegurar a vaga, o núcleo automaticamente recorre à lista para a inclusão de novos participantes.


O Olhar Brasil Alagoas parabeniza todos os participantes da seleção de DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA!

A OFICINA DE DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA SERÁ REALIZADA NA PRÓXIMA SEMANA, DE 22/09 (SEGUNDA-FEIRA) A 27/09 (SÁBADO), DAS 14 ÀS 18 HORAS, NO SESC CENTRO.


LISTA DOS SELECIONADOS PARA A OFICINA:


  1. ALBERT REGO FERREIRA
  2. ALDEMIR BARROS DA SILVA JÚNIOR
  3. ALESSANDRO FERREIRA DE MORAIS
  4. ALICE MESQUITA JARDIM
  5. AMANDA DOS SANTOS NASCIMENTO
  6. ANDRÉ LUIS CAVALCANTI DE LIMA NASCIMENTO
  7. CIDCLEY FERREIRA DA SILVA
  8. DERICK NABERO BORBA
  9. DURVAL FERREIRA LIMA JUNIOR
  10. GLAUBER MARTINS FREIRE XAVIER
  11. HAMILTON GLÁUCIO DE OLIVEIRA JÚNIOR
  12. HERBERT WILLIAM NORTHRUP
  13. JUAREZ ALMEIDA CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE FILHO
  14. JURANDIR TADEU RAMOS SOUZA
  15. KAUÊ OLIVEIRA MAIA
  16. LARISSA LISBOA DA FONSECA TAVARES
  17. MARCO AURÉLIO DE OLIVEIRA COSTA
  18. PABLO ALFREDO DE LUCA
  19. PAULO MARCONDES MACHADO FILHO
  20. PEDRO OCTÁVIO BRANDÃO DO AMARAL


PEDIMOS QUE, JÁ NO PRIMEIRO DIA, OS CANDIDATOS SELECIONADOS LEVEM PARA OFICINA CÂMERA FOTOGRÁFICA DIGITAL E O RESPECTIVO CABO DE TRANSFERÊNCIA.

TODOS OS SELECIONADOS DEVEM COMPARACER AO PRIMEIRO DIA DE AULA PARA ASSEGURAR A VAGA. SÓ CANDIDATOS SEM FALTAS OU COM ATÉ UMA (1) FALTA JUSTIFICADA DURANTE TODA OFICINA RECEBERÃO O CERTIFICADO OLHAR BRASIL-AL.

A OFICINA DE DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA É UMA REALIZAÇÃO CONJUNTA DO SESC ALAGOAS E DO OLHAR BRASIL-AL.

terça-feira, setembro 16, 2008

ENCERRAMENTO DE INSCRIÇÕES - OFICINA DE DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA

Encerramento de inscrições para a seleção da oficina de DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA às 12:00 de 16 de setembro de 2008. Aguardem o resultado da seleção neste endereço e por e-mail, na sexta-feira, dia 19/09.

SESC ALAGOAS E OLHAR BRASIL-AL agradecem!

quarta-feira, setembro 10, 2008

Olhar Brasil-AL e SESC Alagoas abrem inscrições para oficina de DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA

Maceió/Alagoas
09 de setembro, 2008


Estão abertas as inscrições para a oficina de DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA até o meio-dia do dia 16 de setembro, terça-feira. O curso, ministrado por Othon Castro (RJ), é uma realização do Olhar Brasil Alagoas e do SESC Alagoas e será realizado entre os dias 22 (segunda-feira) e 27 (sábado) de setembro, das 14 às 18h, no SESC Centro.

Unindo a teoria à prática, Othon Castro pretende trabalhar alguns conceitos essenciais à fotografia, como luz, cor, ponto de vista, ótica, imagem e noções de estética, composição e linguagem cinematográfica, além de compartilhar conhecimentos sobre iluminação de estúdio, operação de câmera, cinematografias, equipamentos de cinema e vídeo, fotometria, sensitometria e colorimetria.

Formado em direção de fotografia pela Escuela Internacional de Cine y TV (EICTV) de San Antonio de Los Baños, em Cuba, Othon Castro é professor da Escola de Cinema Darcy Ribeiro. É diretor de fotografia de curtas-metragens [como Ellen e David (2007) e A Vitória de Darley (2005)], videoclipes, documentários [como RIO 360º (2006) e As Meninas (2005)] e programas de TV para os canais NatGeo, Futura e GNT. Também participou de vários longas-metragens nacionais e estrangeiros.

Serão ofertadas 20 vagas e caso haja um número maior de inscritos, o critério de seleção será a avaliação, pela equipe técnica do SESC e Olhar Brasil-AL, de um questionário a ser respondido por todos os interessados e enviado como anexo para o e-mail
olharbrasil.al@gmail.com. O questionário pode ser baixado pela internet no endereço http://www.olharbrasilalagoas.blogspot.com/.


Clique aqui para baixar
o questionário


Na seleção dos candidatos, serão considerados critérios como:


1. Qualidade, clareza e adequação das respostas às perguntas do questionário, que deve ser respondido de acordo com as instruções de cada questão e de maneira mais completa possível. Os candidatos devem atentar para a importância do resumo do currículo na questão número 2 e para a necessidade de apresentar a defesa e importância da oficina em questão na sua formação e/ou prática profissional na questão número 3, sempre de forma detalhada, coerente e focada no objetivo da oficina, respeitando o número mínimo de linhas;

2. Possibilidade de o candidato ser um agente multiplicador do conhecimento adquirido na oficina, através de sua atuação em instituições de ensino, Ong’s, projetos de formação, etc;

3. Possuir projeto audiovisual em curso ou em fase de maturação da idéias;

4. Para os candidatos com perfil amador, possuir pretensões de atuar de maneira profissional no mercado audiovisual;

5. Para os candidatos que já foram aprovados em oficinas do Olhar Brasil Alagoas, os critérios abaixo terão caráter ELIMINATÓRIO na seleção:

- Número excessivo de faltas SEM justificativa ou casos de candidatos aprovados que confirmaram a participação antes da oficina e não compareceram às aulas e nem justificaram em tempo hábil à produção do núcleo;

- Falta de participação nas aulas, desinteresse ou não realização das tarefas solicitadas pelo instrutor por motivo não justificado à produção do núcleo;

6. A ausência de um ou mais dos critérios acima no perfil do candidato NÃO possui caráter eliminatório, pois os critérios atuam em conjunto e servem para orientar a seleção na priorização de perfis na disputa pela vaga e em caso de necessidade de desempate.


A oficina de DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA é gratuita e voltada para aqueles que estão dando os primeiros passos no audiovisual com pretensões de atuar profissionalmente na área e/ou para profissionais já atuantes que buscam completar sua formação teórica e prática. O objetivo principal do Olhar Brasil Alagoas é democratizar o acesso aos meios e as técnicas de produção audiovisual e formar mão-de-obra técnica para o audiovisual local, de acordo com as diretrizes do programa nacional do Ministério da Cultura (MinC).

Só serão aceitos na seleção candidatos que enviarem o questionário por e-mail até o meio-dia do dia 16 de setembro, terça-feira. Os candidatos que já participaram de oficinas do núcleo podem repetir as respostas do questionário anterior ou aprimorá-las, caso julguem necessário, porém, devem atentar para as modificações nas questões e para a necessidade de uma nova resposta para a pergunta número 3.

A oficina de DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA é uma realização conjunta do Olhar Brasil Alagoas e do SESC Alagoas, que por meio do Centro de Difusão e Realizações Audiovisuais (CDRA), desenvolve há vários anos oficinas de formação e de aproximação da clientela do SESC com o cinema enquanto linguagem artística, caracterizando a instituição como promotora do audiovisual local e legítima colaboradora dos objetivos do projeto Olhar Brasil.


OFICINA DE DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA
com Othon Castro (RJ)

Data: 22 a 27 de setembro/08
Horário: 14 às 18h
Local: SESC CENTRO
Prazo final de inscrição para seleção: até o meio-dia de 16 de setembro, terça-feira.

Olhar Brasil Alagoas

O Olhar Brasil Alagoas é uma iniciativa de apoio e fomento à atividade audiovisual local, através de ações de formação, qualificação técnica, difusão e acesso público a serviços de captação e edição de imagem e som em plataforma de alta definição. O projeto é resultado de um convênio entre o Ministério da Cultura (MinC) e a Secretaria de Estado da Cultura (Secult-AL) e agrega instituições parceiras que também compõem o conselho gestor, como ABD-AL, SESC, SESI, IZP, UFAL e FITS, além do apoio do restaurante BODEGA DO SERTÃO.

sábado, agosto 23, 2008

Resultado da seleção para a oficina de desenho de som, com Mário Alves (RJ)

A procura pelo curso de DESENHO DE SOM com Mário Alves (RJ) foi bastante específica. Infelizmente o número de vagas é limitado a 20 (vinte) por definição do próprio instrutor com o objetivo de garantir um melhor aproveitamento do conteúdo trabalhado pela quantidade de atividades práticas da capacitação.

Na seleção dos candidatos para DESENHO DE SOM, foram considerados os seguintes critérios:

1. Qualidade, clareza e adequação das respostas às perguntas do questionário, que deve ser respondido de acordo com as instruções de cada questão e de maneira mais completa possível. Os candidatos devem atentar para a importância do resumo do currículo na questão número 2 e para a necessidade de apresentar a defesa e importância da oficina em questão na sua formação e/ou prática profissional na questão número 3, sempre de forma detalhada, coerente e focada no objetivo da oficina, respeitando o número mínimo de linhas;

2. Trabalhos anteriores em captação e edição de som, considerando que o objetivo da oficina é capacitar perfis para diminuir a grande carência de profissionais na área de som em Alagoas;

3. Possibilidade de o candidato ser um agente multiplicador do conhecimento adquirido na oficina, através de sua atuação em instituições de ensino, Ong's, projetos de formação, etc;

4. Possuir projeto audiovisual em curso ou em fase de maturação da idéias;

5. Para os candidatos com perfil amador, possuir pretensões de atuar de maneira profissional no mercado audiovisual;

6. Para os candidatos que já foram aprovados em oficinas do Olhar Brasil Alagoas, os critérios abaixo tiveram caráter ELIMINATÓRIO na seleção:

- Número excessivo de faltas SEM justificativa ou casos de candidatos aprovados que confirmaram a participação antes da oficina e não compareceram às aulas e nem justificaram em tempo hábil à produção do núcleo;

- Falta de participação nas aulas, desinteresse ou não realização das tarefas solicitadas pelo instrutor por motivo não justificado à produção do núcleo;

Informamos que o núcleo realizará oficinas em diversas áreas do audiovisual, em nível básico e avançado, e que a seleção sempre observará a adequação do perfil do candidato dentro do curso específico. Portanto, os que não foram selecionados, ainda terão muitas oportunidades em outras oficinas do Olhar Brasil-AL.

O Olhar Brasil-AL tem todo o interesse em atender o maior número de pessoas e faz o possível para isso, mas infelizmente o núcleo não pode abrir vagas para ouvintes, pois o número de selecionados já representa a nossa quantidade máxima de atendimento por oficina.
Porém, em todas as seleções, o Olhar Brasil possui uma lista de espera e caso algum selecionado não confirme a sua participação por e-mail ou não compareça ao primeiro dia de aula para assegurar a vaga, o núcleo automaticamente recorre à lista para a inclusão de novos participantes.

O SESC ALAGOAS E OLHAR BRASIL-AL parabenizam todos os participantes da seleção de DESENHO DE SOM!

DESENHO DE SOM SERÁ REALIZADA NA PRÓXIMA SEMANA, DE 25 A 29/08, DAS 14 ÀS 18 HORAS, NO SESC CENTRO.

LISTA DOS SELECIONADOS PARA A OFICINA:

1. ADNILSON ROGÉRIO MALTA
2. ALICE MESQUITA JARDIM
3. BEATRIZ NOGUEIRA SÁ
4. CARLOS ANDRÉ MARINHO
5. DIEGO DA SILVA CARDOSO
6. DIOGO DA SILVA CARDOSO
7. DURVAL FERREIRA LIMA JÚNIOR
8. EMMANUEL PEREIRA TORRES
9. ERIVALDO DIAS
10. GABRIEL DUARTE ACCIOLI RODRIGUES
11. JOSÉ ALLAN NOGUEIRA CAVALCANTE
12. JUAREZ ALMEIDA CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE FILHO
13. JULIANA DOS SANTOS
14. JULIO LUIZ GOMES CAMPOS
15. LARISSA LISBOA DA FONSECA TAVARES
16. MARCELO AMORIM DA SILVA
17. MARCOS ANTÔNIO CUNHA CAJUEIRO FILHO
18. PEDRO HENRIQUE MELO SOUZA
19. RAFAEL SORIANO DE BRITO LIRA
20. VICENTE MARINHO DE MOLITERNO

TODOS OS SELECIONADOS DEVEM COMPARACER AO PRIMEIRO DIA DE AULA PARA ASSEGURAR A VAGA. SÓ CANDIDATOS SEM FALTAS OU COM ATÉ UMA (1) FALTA JUSTIFICADA DURANTE TODA OFICINA RECEBERÃO O CERTIFICADO OLHAR BRASIL-AL.

A OFICINA DE DESENHO DE SOM É UMA REALIZAÇÃO CONJUNTA DO SESC ALAGOAS E DO OLHAR BRASIL-AL.

quarta-feira, agosto 20, 2008

Encerramento de inscrições

Encerramento de inscrições para a seleção da oficina de desenho de som às 12:00 de 20 de agosto de 2008. Aguardem o resultado da seleção neste endereço e por e-mail.

SESC ALAGOAS E OLHAR BRASIL-AL agradecem!

sexta-feira, agosto 15, 2008

Olhar Brasil-AL e SESC Alagoas abrem inscrições para oficina de desenho de som até o meio-dia desta quarta, 20

Maceió/Alagoas
15 de agosto, 2008
Estão abertas as inscrições para a oficina de DESENHO DE SOM até o meio-dia do dia 20 de agosto, quarta-feira. O curso, ministrado por Mário Alves (RJ), é uma realização do Olhar Brasil Alagoas e do SESC Alagoas e será realizado entre os dias 25 e 29 de agosto, das 14 às 18h, no SESC Centro.

A oficina tem o objetivo de desenvolver a capacidade de elaboração do desenho de som de um filme através do conhecimento dos princípios fundamentais que norteiam o trabalho de concepção e criação. Mário irá abordar a história do som no cinema, as propriedades físicas do som e a construção da dramaturgia cinematográfica através delas, os conceitos de diagese, espacialidade, temporalidade e acústica, além de atividades práticas e discussão de filmes sob o viés do som.

Mário Alves possui graduação e mestrado em cinema pela Universidade da Califórnia, Los Angeles. No Brasil, trabalhou em vários longas, curtas-metragens e comerciais de televisão como técnico de som direto, além de ser professor da disciplina O Som do Filme por seis anos e meio no curso de cinema da Universidade Estácio de Sá (RJ). Produziu e dirigiu curtas-metragens em Los Angeles e no Rio, sendo o "Ancestral é Aqui" o mais recente, com menção honrosa no Paraty Festcine em 2005.


Serão ofertadas 20 vagas e caso haja um número maior de inscritos, o critério de seleção será a avaliação, pela equipe técnica do SESC e Olhar Brasil-AL, de um questionário a ser respondido por todos os interessados e enviado como anexo para o e-mail olharbrasil.al@gmail.com. O questionário pode ser baixado pela internet no endereço http://www.olharbrasilalagoas.blogspot.com/.

Clique aqui para baixar
o questionário


Na seleção dos candidatos, serão considerados critérios como:

1. Qualidade, clareza e adequação das respostas às perguntas do questionário, que deve ser respondido de acordo com as instruções de cada questão e de maneira mais completa possível. Os candidatos devem atentar para a importância do resumo do currículo na questão número 2 e para a necessidade de apresentar a defesa e importância da oficina em questão na sua formação e/ou prática profissional na questão número 3, sempre de forma detalhada, coerente e focada no objetivo da oficina, respeitando o número mínimo de linhas;

2. Possibilidade de o candidato ser um agente multiplicador do conhecimento adquirido na oficina, através de sua atuação em instituições de ensino, Ong’s, projetos de formação, etc;

3. Possuir projeto audiovisual em curso ou em fase de maturação da idéias;

4. Para os candidatos com perfil amador, possuir pretensões de atuar de maneira profissional no mercado audiovisual;

5. Para os candidatos que já foram aprovados em oficinas do Olhar Brasil Alagoas, os critérios abaixo terão caráter ELIMINATÓRIO na seleção:

- Número excessivo de faltas SEM justificativa ou casos de candidatos aprovados que confirmaram a participação antes da oficina e não compareceram às aulas e nem justificaram em tempo hábil à produção do núcleo;
- Falta de participação nas aulas, desinteresse ou não realização das tarefas solicitadas pelo instrutor por motivo não justificado à produção do núcleo;

6. A ausência de um ou mais dos critérios acima no perfil do candidato NÃO possui caráter eliminatório, pois os critérios atuam em conjunto e servem para orientar a seleção na priorização de perfis na disputa pela vaga e em caso de necessidade de desempate.

A oficina de desenho de som é gratuita e voltada para aqueles que estão dando os primeiros passos no audiovisual com pretensões de atuar profissionalmente na área e/ou para profissionais já atuantes que buscam completar sua formação teórica e prática. O objetivo principal do Olhar Brasil Alagoas é democratizar o acesso aos meios e as técnicas de produção audiovisual e formar mão-de-obra técnica para o audiovisual local, de acordo com as diretrizes do programa nacional do Ministério da Cultura (MinC).

Só serão aceitos na seleção candidatos que enviarem o questionário por e-mail até o meio-dia do dia 20 de agosto, quarta-feira. Os candidatos que já participaram de oficinas do núcleo podem repetir as respostas do questionário anterior ou aprimorá-las, caso julguem necessário, porém, devem atentar para as modificações nas questões e para a necessidade de uma nova resposta para a pergunta número 3.
A oficina de Desenho de Som é uma realização conjunta do Olhar Brasil Alagoas e do SESC Alagoas, que por meio do Centro de Difusão e Realizações Audiovisuais (CDRA), desenvolve há vários anos oficinas de formação e de aproximação da clientela do SESC com o cinema enquanto linguagem artística, caracterizando a instituição como promotora do audiovisual local e legítima colaboradora dos objetivos do projeto Olhar Brasil.
OFICINA DE DESENHO DE SOM, com Mário Alves (RJ)

Data: 25 a 29 de agosto/08
Horário: 14 às 18h
Período de inscrição na seleção: até o meio-dia de 20 de
agosto, quarta-feira.
Local: SESC CENTRO

quinta-feira, agosto 14, 2008

Resultado da seleção para a oficina de processos de produção, com Pedro da Rocha (AL)

Maceió, Alagoas
15 de agosto, 2008
A procura pelo curso de PROCESSOS DE PRODUÇÃO com Pedro da Rocha (AL) foi grande. Pelo teor teórico da oficina, nível dos candidatos e espaço físico da FITS, o Olhar Brasil Alagoas e o instrutor da oficina decidiram abrir mais (10) dez vagas na tentativa de contemplar um maior número de interessados.

Informamos que o núcleo realizará oficinas em diversas áreas do audiovisual, em nível básico e avançado, e que a seleção sempre observará a adequação do perfil do candidato dentro do curso específico. Portanto, os que não foram selecionados, ainda terão muitas oportunidades em outras oficinas do Olhar Brasil-AL.

O Olhar Brasil-AL tem todo o interesse em atender o maior número de pessoas e faz o possível para isso, mas infelizmente o núcleo não pode abrir vagas para ouvintes, pois o número de selecionados já representa a nossa quantidade máxima de atendimento por oficina. Porém, em todas as seleções, o Olhar Brasil possui uma lista de espera e caso algum selecionado não confirme a sua participação por e-mail ou não compareça ao primeiro dia de aula para assegurar a vaga, o núcleo automaticamente recorre à lista para a inclusão de novos participantes.

Pedimos a compreensão dos candidatos que não participaram da seleção para não tentarem comparecer às oficinas, pois não será permitido assistir às aulas. Pedimos também aos candidatos selecionados que não levem amigos ou colegas para o curso.

O Olhar Brasil Alagoas parabeniza todos os participantes da seleção de PROCESSOS DE PRODUÇÃO!

PROCESSOS DE PRODUÇÃO SERÁ REALIZADA NA PRÓXIMA SEMANA, DE 18 A 22/08, DAS 14 ÀS 18 HORAS, NA FACULDADE INTEGRADA TIRADENTES – FITS
Endereço:. Campus Amélia Maria Uchôa, Av. Comendador Gustavo Paiva, 5017 – Cruz das Almas.


LISTA DOS SELECIONADOS PARA A OFICINA:

1. ALESSANDRA DE FÁTIMA ALVES MARQUES LUZ
2. ALESSANDRO FERREIRA DE MORAES
3. ALEXANDRE DA ROCHA SILVA
4. ALICE MENDES OLIVEIRA
5. ALICE MESQUITA JARDIM
6. ALLAN SOUZA QUEIROZ
7. ANA CAROLINA DA SILVA SANTOS
8. ANDERSON RUFINO BARBOSA
9. ARRIETE VILELA COSTA
10. BÁRBARA HANNA SOUZA DO NASCIMENTO
11. BEATRIZ NOGUEIRA SÁ
12. CAROLINE GONÇALVES PLECH
13. DÉBORA RAQUEL DE MELO
14. DIOGO DA SILVA CARDOSO
15. DURVAL FERREIRA LIMA JUNIOR
16. EDVAL VASCONCELOS SANTANA
17. EMERSON MAGALHÃES DOS SANTOS
18. FABRÍCIO PEREIRA DE MELO
19. GEANNE PAIVA DA CUNHA CARDOSO
20. GLAUBER SOARES RAMOS
21. HERBERT WILLIAM NORTHRUP
22. ISADORA PADILHA DE HOLANDA CAVALCANTI
23. JOERTTI URSO BEZERRA
24. JULIANA DOS SANTOS
25. KAUÊ OLIVEIRA MAIA
26. LARISSA LISBOA DA FONSECA TAVARES
27. LAURA KRISAM UTSCH DE LEÃO
28. LAYLA CÍNTHIA VILELA DA SILVA
29. LUCAS RENATO MOREIRA
30. LÚCIA M. F. ROCHA
31. MARIA CLAÚDIA DA SILVA
32. MC DEMERSON CAVALCANTE RODRIGUES DE MELO
33. PABLO ALFREDO DE LUCA
34. PAULO MARCONDES MACHADO FILHO
35. RANIERI BRANDÃO PORFÍRIO SANTOS
36. RENAN DURVAL APARECIDO DA SILVA
37. SANDRO EURICO EGUES
38. SILVÂNIA SILVA
39. THIAGO ANGELIN LEMOS BIANCHETTI
40. YOGO SIMÕES DE AZEVEDO COSTA